segunda-feira, abril 26, 2010

A caminho da feijoada

Era suposto toda a gente fazer o percurso a pé ou de BURRO, mas... foram quase todos em cavalos.
Valeu a teimosia de meia dúzia, para que fosse visto um animal.

Logo no princípio o tempo obrigou a uma paragem que não foi de todo tempo perdido.

O Zélito logo aproveita para experimentar as facas e provar o vinho.

Junta-se o Tó 20 escudos com a montada já dominada.
No cabeço já havia quem dizia estar muito boa, a feijoada claro.

Escolheu-se o melhor lugar possível, pois o tempo estava mesmo variável.

Com as panelas por aí abaixo, um dos raros momentos de descanso dos cozinheiros.


Havia para repetir, para os verdadeiros apreciadores.

Vai um do meu? e um bagacinho para esmoer!
E de novo ao ataque, avizinhava-se para breve a prova de porco no espeto.

Pena foi que o tempo não tivesse dado uma ajuda. Mas para comer e beber arranja-se sempre um cantinho onde não se sente nem o vento nem a chuva.
Para o ano há mais.

1 comentários:

Observador disse...

A festa estava porreira pah!!!